• fpcuesta@gmail.com

Parque Nacional Krka Waterfalls, Skradin e Sibenik. A bela Croácia além do básico

Parque Nacional Krka Waterfalls, Skradin e Sibenik. A bela Croácia além do básico

Após a passagem por Zadar, prosseguimos para o sul da Dalmácia rumo a 3 lugares menos divulgados nos guias especializados, mas que tinham chamado nossa atenção pelas peculiaridades de cada um. Skradin, um minúsculo vilarejo, base ideal para explorar o segundo parque natural mais importante e visitado na Croácia, o Krka Waterfalls National Park. E, bem próximo a esses dois sítios, a cidade de Sibenik, sede da famosa catedral de st. james, patrimônio mundial da humanidade segundo a Unesco. Normalmente, em roteiros mais enxutos com prazo de 1 semana ou no máximo 10 dias, os visitantes não se dedicam a explorar esses locais, preferindo rumar diretamente para os pontos mais famosos, como Split, Trogir, Hvar ou Dubrovnik.

IMG_20140728_102131

_DSC0180

Mas, se você é do tipo que gosta de priorizar as visitas de natureza, com belas paisagens, parques e ainda dispuser de alguns dias extras, não perca, sob qualquer pretexto, o parque Krka e suas magníficas quedas d’água. A visita pode ser feita em um dia inteiro, a partir de Skradin, de onde saem barcos que levam diretamente ao parque. O ideal é pernoitar lá, para poder fazer o giro com mais calma. Além disso, Skradin vale por si só também. Vou explicar melhor um pouco abaixo. Fotos abaixo de Skradin:

20140505_110507

_CSC0139

Foi exatamente o que fizemos. E Sibenik? Você deve estar se perguntando. Bem, Sibenik, apesar de ter uma incrivel catedral patrimônio da humanidade pela Unesco (seu diferencial) e um centrinho antigo e histórico menos caprichado do que os de várias outras cidades na Croácia, fica valendo em minha opinião apenas por esse grande atrativo religioso, podendo ser deixada de lado, se você não for um papa igreja ou se não fizer questão de conhecer os mínimos detalhes de uma construção que misturou diferentes estilos  e influencias arquitetônicos.

Chegamos desde Zadar vindo de carro pela A1, a excelente estrada que corta o país de norte a sul. Após a saída da via principal para uma via menor, dirigimos por mais uns 5/10 km e chegamos ao simpático e belo vilarejo de Skradin. A cidadela, que pertence ao condado de Sibenik, tem apenas uma rua principal, que nada mais é do que a continuação da estradinha, que a circunda por completo, passando pela orla, onde há uma pequena marina cheia de barquinhos e alguns iates devidamente ancorados. Ao redor da cidade, uma densa vegetação verde musgo, tudo em perfeita harmonia visual e contribuindo para a composição do agradavel cenário.

_DSC0201

Em acréscimo, agregando à paisagem, algumas ruelas e ladeirinhas transversais cheias de casinhas de pedra, que abrigam um centrinho, com restaurantes de pescados, lojinhas, 2 igrejas e o escritório oficial de divulgação do parque Krka. E, do alto de uma pequena colina, uma mini fortaleza com um panorâmico visual de toda a região.

20140505_110521

Da mencionada orla, defronte ao rio Krka, como já mencionado, sai e chega o catamarã oficial do parque nacional homônimo, o krka waterfalls, veículo que leva e traz os turistas e visitantes em intervalos regulares de 60 minutos entre as 8 da manhã e as 5 da tarde. Ficar em skradin, portanto, é a melhor opção para quem queira fazer uma visita menos corrida ao parque. Se a opção, contudo, for por não pernoitar em skradin, pode se fazer esse passeio também como day tour, usando como base as cidades de Zadar ou de Split. Mas, nesse caso, o visitante perderá a chance de conhecer com calma essa cidadezinha miniatura tão agradável.

_DSC0205

No dia de nossa chegada, por volta das 12 horas, fazia um dia nublado e um pouco frio e, por esse motivo, deixamos a visita ao parque para a manhã seguinte. Após um almoço no otimo restaurante chamado Dalmatino,  fomos  conhecer a cidade de Sibenik na parte da tarde, distante uns 20 minutos de carro de skradin. O grande atrativo de Sibenik, é a sua famosa e belíssima catedral de Saint James, katedrala Sv. Jakova, o maior monumento renascentista de toda a Croácia, declarada patrimônio mundial da humanidade pela Unesco no ano de 2000.

IMG_20140728_094746 (2)

Com intrincados detalhes, recebeu a mistura de vários estilos artisticos e arquitetônicos e chama a atenção dos visitantes pela sobriedade elegante de sua fachada e por múltiplos e distintos detalhes em seu interior, composto por três naves e suportado por múltiplas colunas em arco. Segundo informações colhidas no local, o grande templo religioso teve sua construção marcada pela influência de distintos estilos. O nível inferior, incluindo o portal de entrada, retratou o estilo gótico, ao passo que o andar superior sofreu influência do estilo renascentista. Foto abaixo do interior da Catedral:

_DSC6538

Destacam-se ainda na magnífica obra, belas esculturas junto às portas, e outras 72 faces humanas de pessoas do povo, esculpidas ao longo da fachada externa, a porta dos leões (detalhada na foto abaixo) situada na fachada lateral esquerda, o domo, o espetacular batistério e a cúpula (restaurada recentemente após bombardeio sérvio durante a guerra dos Balcãs em 1991).

20140504_164124

Conquanto as múltiplas influências pudessem, em tese, ter prejudicado o seu resultado final, observamos que tal não ocorreu e a igreja mantém uma incrível harmonia de formas e espaços e, por esta mesma unidade e uniformidade de seus ambientes interiores e exteriores, tornou-se única no mundo, sendo um motivo de grande orgulho para todo o povo da região.

Cumprida a visita à Catedral, demos uma breve volta no centro antigo e voltamos para Skradin. Na orla de Sibenik, pouco antes da partida, vimos um navio estilizado como uma nau/caravela de muito antigamente que faz passeios e saídas para almoços e jantares pela região. (foto abaixo) Vale insistir, uma vez mais, que se ver igrejas não for o objetivo principal de sua jornada, ou se você não for um ‘colecionador’ de visitas aos patrimônios da humanidade Unesco, parece bem razoável deixar de incluir Sibenik no roteiro. Apesar de ter gostado muito de conhecer a catedral, se fosse refazer meu plano de viagem, talvez não a incluísse.

20140504_180813

Como Sibenik, ha várias outras mais belas nos arredores, por exemplo Zadar e Trogir (esta tema exclusivo do próximo post). Concentraia as atenções e esforços apenas em Skradin e no parque Krka. E para o parque fomos na manhã seguinte, quando por sorte já fazia um dia excelente, ensolarado, mais quente e com um vibrante colorido.

_DSC0174

O Parque Nacional Krka Waterfalls se situa em uma área total de 109 km2 ao longo do curso do rio homônimo, apresentando um conjunto inigualável de cachoeiras e quedas dágua de travertino, lagos e pequenas ilhas. O acesso ao seu ponto central, chamado skradinski buk, se dá por 2 locais. O primeiro, como já dito, é por via fluvial, através do barco oficial disponível de abril a outubro, à partir de Skradin. Outra opção é a entrada Lozovac, com estacionamento gratuito aos visitantes. Para quem estiver ainda mais disposto há a alternativa de uma trilha paralela ao leito do rio, (que pode ser feita a pé ou de bicicleta) que conecta a cidade de skradin ao portão de entrada do parque (skradinski buk), com cerca de 4 km de extensão. Foto da navegação de skradin rumo ao parque:

_DSC0195

Para aqueles que dispuserem de um pouco mais de tempo, há também outras atrações menos concorridas e mais remotas no parque. São elas o passeio (tour guiado e que deve ser previamente agendado) até a ilha lacustre de Visovac, situada no lago de visovac, onde é possível visitar um mosteiro franciscano e a igreja de nossa senhora de visovac. Além dessa opção, há também a possibilidade de visitação à cachoeira de Roski Slap, mais distante do ponto central do parque. Pode contratar ainda um passeio de barco no parque, saíndo de skradinski buk, com duração de 4 horas, percorrendo a ilha de visovac e Roski Slap.

_DSC0146

Em nossa visita, ficamos apenas na zona principal e mais concorrida do parque. Acordamos muito cedo e pegamos o primeiro barco, exatamente as 8 horas da manhã, saindo diretamente da orla de skradin por um trajeto de 25 minutos que nos deixou em frente à entrada (skradinski buk). Desse mesmo local, após a visita, que dura entre duas horas e duas horas e meia, percorrendo calmamente a trilha das cachoeiras e fotografando debruçados sobre os vários mirantes disponíveis no caminho, utilizamos o barco novamente para retornar a Skradin.

20140505_095802_resized

_DSC0144

Para quem já visitou ou vai visitar os Plitvice, ainda assim vale ir ao Krka? Sim! Claro que sim. São parques diferentes, e sob certo aspecto, complementares. Apesar do Krka não oferecer ao visitante todas aquelas múltiplas tonalidades de cores de plitvice, nem tampouco possuir aquela aura de local mágico e perdido num tempo ficcional, também é um fantástico e imperdível monumento natural, com o diferencial da força de suas cachoeiras de travertino, impulsionadas por exuberantes massas de água que parecem arrastar tudo o que encontram pela frente. Em termos de volume de água, as quedas dos lagos plitvice parecem alimentadas por conta-gotas. O trajeto é mais rápido, simples e seguro, cabendo ao visitante percorrer uma única trilha bem marcada e circular, que leva cerca de 1 hora e 30 minutos. Se não bastasse tudo isso, ainda é menos cheio do que seu concorrente mais famoso.

_DSC0155

_DSC0171

_DSC0186

Lá embaixo, ao final da trilha, cruza-se uma ponte que permite aquela foto clássica digna de cartão postal e uma visão global em perspectiva de todos os múltiplos e escalonados degraus das diversas quedas d’água tom travertino que compõem a maravilhosa paisagem, com o seu gigantesco volume de água que desce com fúria e beleza. Um grande espetáculo da natureza, para ser contemplado e aplaudido de pé.

_DSC0178

Retornando à Skradin, demos uma última volta a pé pela vila e subimos até seu ponto mais alto, uma pequena fortaleza, que oferece um visual espetacular e panorâmico de toda a cidade e da região do rio krka. Paz e harmonia abundantes. Mas, por incrível que pareça, poucos sabem que a área ao redor da cidade, há pouco mais de 2 décadas atrás, foi uma das maiores frentes de batalha na guerra dos balcãs, opondo os croatas de sibenik contra os sérvios em Krajina. Hoje, a tranquilidade impera, o turismo está restabelecido e isso funciona apenas como uma desagradável lembrança na mente dos cidadãos locais.

_DSC0198

IMG_20140728_102653 (1)

_DSC0160

Finalizada mais esta etapa da jornada, pegamos o carro rumo ao próximo destino, Trogir…

Do Rio pro Mundo

Uma ideia sobre “Parque Nacional Krka Waterfalls, Skradin e Sibenik. A bela Croácia além do básico

adrianaPublicado em  9:25 pm - maio 28, 2016

amei o blog. estou indo pra croacia terça feira e com certeza seguirei varias dicas!!!
parabens!

Deixe sua mensagem

1 × um =