• fpcuesta@gmail.com

Las Vegas, o resumo do mundo. (Por Alline Oliveira – convidada)

Las Vegas, o resumo do mundo. (Por Alline Oliveira – convidada)

* Diante do sucesso instantâneo de sua primeira experiência aqui neste blog, quando nos apresentou o Alasca com muita propriedade e beleza, sigo abrindo espaço para a minha querida amiga Alline, moradora de San Diego, que já deve ter ido à Las Vegas umas 20 vezes nessa sua quase década por lá. Ela produziu um belíssimo post sobre a cidade do jogo e do entretenimento e me deixou com muita vontade de ir correndo pra lá. Tenho certeza que o mesmo acontecerá com os leitores desta crônica. Então, conta aí Alline…

 “- Hi! Queria uma informação; como faço para chegar na Torre Eiffel?
– Sure! E só seguir reto, daqui das Pirâmides do Egito até o Foro Romano, A Torre Eiffel ficará bem à sua frente.
– Thank you! E o Cristo Redentor?
– Também sem problemas, fica logo ali na rua de trás da Estátua da Liberdade com a Ponte do Brooklyn…

Papo de maluco?? Não, não. Welcome to Fabulous Las Vegas! A Meca do jogo de azar. A cidade imitação que ninguém consegue imitar.

1

O jeito que eu mais gosto de chegar em Vegas é de carro, vindo pelo Sul da Califórnia através da interestadual I-15, atravessando a vastidão do deserto de Mojave com o seu escaldante Vale da Morte, depois subindo a bela Sierra Nevada e descendo-a novamente até atingir o nível do mar já na chegada à Vegas. Curiosamente, o grande vale da cidade já foi mar um dia, mas hoje é um grandioso e seco amontoado de areia. A travessia do deserto da Califórnia é, com certeza, muito recompensadora, pois o visual é selvagem, vazio, amplo, com incríveis variações de marrom claro e uma imensidão incontável de pedras e mais pedras. Chegar em Las Vegas à noite é muito impressionante, porque você já consegue ver a luz da cidade a dezenas de quilômetros de distância. E a cidade é bem isso mesmo, totalmente LUZ.

Por incrível que pareça, a parte mais famosa onde os turistas gastam praticamente todo o seu tempo e dinheiro é composta basicamente de uma única rua. Exatamente! Uma única e grande avenida de 7 quilômetros que se chama Las Vegas Boulevard. Ou Las Vegas Strip, para os mais descolados.

lasvegas-boulevard_2170_600x450

É na Strip que tudo acontece. TU-DO!
Pra começo de conversa, estamos diante de uma das únicas cidades dos States que você pode andar na rua tomando e carregando a sua cerveja na mão. E esse é bem o clima da cidade mesmo: farra, bagunça e bebedeira (no estilo americano, é claro). Tem turismo em Vegas durante todos os dias do ano. De sexta a domingo a população da cidade parece duplicar de tamanho, quase toda concentrada nos mais de 100 mil quartos oferecidos pelos cerca de 300 hotéis disponíveis.

Os melhores hotéis cassinos resorts da Strip são o Caesars Palace e o Wynn. Mas também são os mais caros. Esses dois complexos hoteleiros são simplesmente um LUXO! Eu nunca vou me esquecer do dia em que pisei no lobby do Caesars Palace pela primeira vez. Meus pulmões simplesmente se esvaziaram. Meus olhos ficaram paralisados. Minhas pernas começaram a caminhar automaticamente. Que lugar Lindo!! Isso aqui é um hotel??  Me perguntei. Pirei então. Reproduções de estátuas de mármore por todo o imenso salão, carpetes chiquérrimos do chão ao teto e do teto ao chão, uma iluminação de cair o queixo, em tons de bege dourado que irradia esplendor. E máquinas de cassino por toda a parte. Super barulhentas, fazendo você ficar hiperativo imediatamente. Outro planeta? Talvez.

ceasars_palace_lobby1

2

E aí você começa a vagar pelo hotel e vai se deparando surpreendentemente com o próprio Foro Romano, com a Fontana di Trevi, com o Panteão, com o Coliseu, com a Via del Corso e a Roma inteira. Simplesmente surreal. Pasmem.

trevi

Depois de umas duas horas andando boquiaberto, meio sem consciência, você começa a se relembrar que tem mais cidade lá fora. E então resolve sair do edifício do Caesars para ir conferir o seu restante. Do lado de fora atravessam-se estonteantes jardins dos deuses, para então dar de cara com nada menos do que a majestosa Torre Eiffel. Monumental. Praticamente em tamanho real. Com o edifício do Paris Casino ao fundo.

4

luiz

Você entra no Paris e se depara com reproduções fantásticas das ruas de Montmartre, da fachada de catavento do Moulin Rouge e das músicas da belle époque. E vai perambulando pelos cafés e creperias da “cidade cassino”. De repente começa a perceber uma certa não-conformidade, uma sensação desconexa, de estar realmente em Paris ao ar livre andando pelos boulevares da Île-de-France. E, ao procurar o motivo dessa sensação incomum, ao olhar para cima, você simplesmente se depara com a mais impressionante imitação de céu aberto em que pelo menos eu já presenciei na vida. Perde-se totalmente a noção do que é real e do que é ficção. Como em um transe.

E assim você vai seguindo o seu caminho. Cassino por cassino, andando estatelado pelos quarteirões da Las Vegas Strip, onde tudo começou com o Hotel Flamingo, fundado em grandíssimo estilo pelo visionário Bugsy Siegel em 1946. Hoje temos vários outros, tais como Excalibur, Luxor, Mandalay Bay, Monte Carlo, Casino Royale, New York New York, MGM, Tropicana, RIO, Paris, Bally’s, Planet Hollywood, Ceasers, Bellagio, Stratosphere, Circus Circus, Mirage, Treasure Island, Sahara (que não existe mais), Venetian, Wynn, Trump, Hilton, Hooters, etc, etc, etc, etc. Vários e vários hotéis faraônicos. Literalmente. Todos em sequência um após o outro, numa compulsão obsessiva por entretenimento e magia, para finalmente chegar no Cosmopolitan, o mais recente e futurístico de todos os complexos hoteleiros da Strip, aberto em dezembro de 2010.

Em Vegas não tem como deixar de falar das fontes do lago do meu preferido, o hotel Bellagio. Ah, quanto romantismo… quanto prazer artístico. Enquanto se está caminhando, seja apressada ou vagarosamente, de um hotel para o outro, pelo lado de fora da rua, na calçada, repentinamente uma música gostosa começa a soar pelas árvores, vinda da direção desse lago imenso, que fica na frente da fachada de um majestoso hotel de estilo renascentista. E então, de repente, não mais que de repente, a água começa a dançar. Para cima. Para um lado. Para o outro… Muito mais para cima ainda. No mesmo ritmo que a música bailante que está tocando. Até chegar ao ponto máximo de um grande jato de quase uns 10 andares de altura, devidamente escoltado por vários outros jatos menores também dançantes. E por aí a coisa vai. Ao assistir a esta cena, inevitavelmente a pessoa abre um sorriso e interrompe todo e qualquer pensamento que esteja lhe ocorrendo, envolta por este ballet aquático. Às vezes, até cai uma lágrima.

Mas aí você logo se lembra que tem que pegar a câmera e ficar tirando fotos, postar no facebook e tuitar sobre tudo isso… Esse nosso jeito moderno de aproveitar a vida…

owaaapumgmp30mx4svaym72xcoljs-t-eivpptfwp3cclsz3ls1iygpej7frmuzs0qvitruze0bwhadkhikbwrbkqhaam1t1up8v_w9dpkini04qoxe545vjszo4

51

Em algum momento em seu passeio toda essa grandiosidade e excentricidade de Vegas começam a fazer parte da sua normalidade, fundindo-se ambos como algo corriqueiro. Como se a surpresa virasse rotina. É nesse momento que você então já era, foi absorvido pela cidade. Ou melhor dizendo, abduzido.

Eu já me considero uma local na Las Vegas Strip, mas ainda assim até hoje eu não consigo deixar de me emocionar ao entrar pela… ‘wait for it’… Praça São Marcos. Deliciando-me com um prazeroso passeio de gôndola, ao som de “O Sole Mio”, interpretado por um  gondoleiro italiano, no leito de um extenso rio artificial que corre surpreendentemente do lado de DENTRO do hotel cassino resort Venetian Palace, que fica mais ao norte da Strip, um pouco antes do ofuscante rubro-negro Wynn. A ilusão aqui, como se percebe, é infinita.

venetian

E, por falar em Wynn, o que este hotel de vermelhos mil tem de melhor a oferecer, na minha opinião, é o melhor de todos os melhores shows noturnos da cidade de Las Vegas. O espetacular “Le Rêve”. E olha que eu já fui em zilhões de shows em Vegas. Shows de cantores famosos, tipo Elton John e Celine Dion que batem ponto por aqui, shows de comediantes e de mágicos, tipo David Copperfield. Shows circenses, incluindo o excelente “O” do Cirque du Soleil, que é todo dentro d’água. Shows mais eróticos, como o “Chippendales” e o “Thunder from Down Under” (também excelentes por sinal). Exposições de sucesso mundial como a BODIES em exibição no Luxor. Já fui até hipnotizada num show de telepatia em Vegas. Só mesmo em Vegas!

encore-at-wynn-las-vegas

A especialidade de Vegas são as noitadas, uma das melhores dos Estados Unidos. Americanos dos quatro cantos do país vêm de milhas e milhas distantes para curtir a ‘night’ aqui. Todo hotel cassino tem sua ‘night club’ e elas todas concorrem para ver qual vai ser a mais bombada. A do Hotel RIO, por exemplo, fica lá no alto do prédio, de onde dá pra ver toda a cidade e você tem a sensação que está dançando suspenso nas alturas. A do Planet Hollywood é uma das mais concorridas e também uma das melhores. Ouvi falar que a do Wynn é chiquérrima e vale muito a pena, mas a esta eu ainda não fui.

voodoo-rooftop-nightclub-vegas-590x395

Comer e beber em Vegas também não tem muito segredo não. Dentro de cada um dos cassinos da Strip existe uma quantidade incalculável de opções de bares, restaurantes e lojas e o visitante, com certeza, não vai ter problema com falta de comida ou de compras. Essa é a marca registrada dos States (em Vegas tem muito outlet sim). A maioria dos grandes cassinos também possui pelo menos um restaurante buffet, que você vai poder explodir de tanto comer a um preço que gira em torno de US$15 (quinze dólares) por pessoa. Quase uma pechincha.

Vegas é tão bom que às vezes nem me lembro de comentar um detalhezinho importante sobre a cidade… o jogo! Cassinos, jogos de azar, cartas, roletas, bacará, caça níqueis, blackjack, mesas de pôker, dinheiro fácil… Vício. Quem vai lá para jogar, tem sim muito o que fazer. É a meca do jogo e atrai muitos turistas principalmente por causa disso. O turismo do jogo de Vegas dá tanto dinheiro para o estado de Nevada, que quem trabalha lá não precisa pagar imposto estadual nenhum. São 200 mil máquinas de jogo, dando um lucro de 9 bilhões de dólares por ano.

PQAAAB-BDbbKCfNdP1srHb9SW1tlIAUGE4lBtSVKLYgflJyYWkkWhjZJQLCKltjfpOVjJQD2nIR6qOpBG02Rl8ri1HoAm1T1UP7uWbWo2tQ2ipT6xI0-oAl2KYP2

Quem não conhece pode pensar que o local gira exclusivamente em função do jogo. Eu sou uma pessoa que não joga e também pensava assim antes de visitá-la pela primeira vez. Mas, definitivamente, aqui tem diversão de sobra para todo mundo. Novo ou velho, casado ou solteiro, com criança ou sem criança, pobre ou rico, deprimido ou hiperativo, americano ou não, viciado em jogo ou não.

A título de informação, segue aqui uma extensa lista de visitas imperdíveis que você tem para fazer em Vegas, além de todas as que eu já comentei acima. Já estou cansada só de pensar no tamanho dessa lista, mas vamos lá. Observação importantíssima: várias das atrações abaixo são absolutamente GRATUITAS!!! Viva Las Vegas, como já cantava o saudoso Elvis Presley!!

Aí vai: Visitar o Luxor com sua recriação perfeita da Esfinge de Gizé e subir seu elevador inclinado dentro de uma pirâmide gigante de quatro lados sustentada sem nenhuma coluna em seu meio; Visitar uma perfeita floresta tropical indiana indoor no Mandalay Bay; Assistir a um autêntico show de luta medieval no Excalibur comendo um coxão de frango com as mãos como se fosse você mesmo um bárbaro; Andar de montanha russa no New York New York; Acariciar leões de verdade no MGM; Dar uma passadinha rápida no RIO só para matar a saudade do seu país; Voltar de novo para a Strip e se surpreender com a modernidade do Cosmopolitan, talvez até fazer um shopping por lá; Passear pelo Planet Hollywood só por diversão e curiosidade mesmo; Entrar no Bellagio e ficar embasbacado com as esculturas de cristais de Murano em seu teto, com seus jardins indoor, com o seu estilo romântico e podre de chique; Assistir ao show pirotécnico das estátuas tagarelas do Caesars; Voltar a passear pelos boulevards do Paris; Assistir ao espetáculo outdoor dos piratas do caribe do Treasure Island; Passear de gôndola no Venetian; Visitar o Wynn porque vale muito a pena mesmo; Assistir a um show de circo no Circus Circus; Subir a torre imitação de Seatle de vários e vários andares de altura do Stratosphere e encarar e sobreviver a um dos brinquedos radicais que operam lá em cima. Pronto. Ufa! Chega!

Pensou que já acabou? Que nada! Vegas não te dá folga não. Além de tudo o que já foi dito, os arredores da cidade ainda têm distintas opções de passeios das mais variadas modalidades, incluindo muito turismo de aventura no deserto, nas montanhas e nos lagos ao redor da cidade. Sugiro uma visita à colossal Hoover Dam, com sua parede de concreto imensa, a hidroelétrica responsável pelo abastecimento de todo o estado de Nevada, do Arizona e de boa parte da Califórnia. Vale muito a pena conferir.

75362_10150094667730236_4384273_n

Como se não bastasse, Vegas também te oferece várias vias de acesso até o Grand Canyon, que mais do que merecidamente, é uma das 7 maravilhas naturais do mundo (fotos abaixo). Você pode fazer um passeio de helicóptero de um pouco menos de 1 hora gastando por volta de US$ 300 (trezentos dólares) ou um passeio também muito bom de um dia inteiro de ônibus por volta de US$ 100 (cem dólares). O parque nacional do Grand Canyon tem várias opções de lazer como trilhas, museu e apresentações artísticas. A atividade mais legal de se fazer é descer pelos paredões desse buraco imenso montado numa mula e fazer um rafting lá no fundo, no Rio Colorado, vislumbrando todo esse infinito de baixo para cima. De todos os lugares que eu já visitei nos Estados Unidos, O Grand Canyon sem dúvida foi o que mais me impressionou. É também megalomaníaco como praticamente tudo nos States, tal qual Las Vegas. Porém a grande diferença é que a magnificência do Grand Canyon é absolutamente natural, oriunda exclusivamente da vontade divina. Ali tive a certeza de que Alguém achou que nós merecíamos um pouquinho mais de beleza na Terra e nos ofereceu esse presente. O Grand Canyon foi e continua sendo cavado todos os dias pelo também hiperlativo Rio Colorado, numa tentativa de encontrar o seu caminho talvez para a China, formando camadas e mais camadas de pura história e nos dando uma bela aula de geologia ao ar livre.  O que você vai ver na visita ao Grand Canyon não cabe nas fotos, não cabe nos souvenires e nem tampouco cabe nessas palavras. Não perca sob qualquer hipótese!

7

8

Já terminando, digo que, quanto mais eu volto a Vegas, mais facetas eu descubro dessa cidade maravilhosa, cheia de encantos mil. Ops… Essa frase é de uma música sobre uma outra cidade? Não liga não… Tem vários outros plágios por esse post a fora. Lá em Vegas é assim, copia-se de tudo um pouco, do mundo todo mesmo.

Tem ainda outras coisas que eu poderia contar sobre Vegas, mas eu vou ficar por aqui. Afinal, a lei fundamental de Vegas deve ser sempre muito bem respeitada: ‘What happens in Vegas, stays in Vegas’. Não se preocupe que você vai entender o que eu estou falando quando estiver por lá. Vegas, baby, Vegas.”

Ela agora está querendo postar sobre o Uruguai, onde morou por cerca de um ano e, pelo visto, vou seguir abrindo espaço, pois talento ela já mostrou que tem de sobra! Então tá né Alline, que venga el post del Uruguay, carajo!!! 

allineo

2 pensamentos sobre “Las Vegas, o resumo do mundo. (Por Alline Oliveira – convidada)

AllinePublicado em  6:18 pm - jul 26, 2013

Oi Felipe

Queria muito te agredecer por essa oportunidade maravilhosa de me deixar brincar com voces aqui no seu blog…
Eu sempre tirei zero em redacao na escola, tinha que escrever so’ por obrigacao mesmo e sobre assuntos que nao me interessavam nem um pouco. As correcoes que eu recebia dos professores eram absurdas, me diziam que eu so’ era boa em matematica e isso me fez acreditar durante toda uma vida que eu nao sabia escrever.

Acompanhar o seu entusiasmo ao blogar suas prosas me inspirou instantaneamente. Acho que no’s podemos nos considerar escritores amadores ne?

Fico muito feliz! Valeu cara!!

Alline

    Do Rio pro MundoPublicado em  6:33 pm - jul 26, 2013

    Que isso Alline, não precisa agradecer não. O mérito é todo seu! Esse post de Las Vegas ficou muito legal mesmo! E olha que eu sou bem crítico hein? Fico muito feliz com as suas postagens pois elas engrandecem ainda mais este espaço, que começa lentamente a tomar forma na rede e a se sedimentar como uma fonte de consulta e indicação de muitos internautas e viajantes. Não imaginava uma resposta tão rápida em tão pouco tempo e também tenho que te agradecer por isso, assim como a todos os outros leitores, pois desde o início, antes de ser convidada a postar, vc. sempre foi uma grande incentivadora com seus comentários.

    Um bj e vamos em frente que esse projeto está apenas começando…

Deixe sua mensagem

seis − seis =